skip to Main Content
(11) 3031-6164 (11) 99003-8847
Diagnóstico De TDAH Em Crianças

Como se faz o Diagnóstico de TDAH em Crianças?

Considerações sobre o Diagnóstico de TDAH em Crianças – Dra Eugênia Fialho Neuropediatra

O TDAH, ou Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, é uma condição neurocomportamental que afeta crianças, adolescentes e adultos. Ele é caracterizado por sintomas principais de desatenção, hiperatividade e impulsividade.

Os sintomas mais comuns associados ao TDAH são:

  1. Desatenção: Pessoas com TDAH podem ter dificuldade em prestar atenção a detalhes, cometer erros por descuido em tarefas escolares ou no trabalho, ter dificuldade em manter o foco em tarefas ou atividades, parecer desorganizadas e evitar tarefas que exijam atenção prolongada.
  2. Hiperatividade: Embora nem todos com TDAH apresentem hiperatividade, muitas crianças com TDAH são fisicamente inquietas e têm dificuldade em ficar paradas. Elas podem se mexer constantemente, correr ou subir em lugares inadequados em situações sociais.
  3. Impulsividade: Pessoas com TDAH podem agir impulsivamente, sem pensar nas consequências. Isso pode se manifestar em interromper os outros, responder antes que uma pergunta seja concluída e tomar decisões impulsivas.

É importante destacar que o TDAH é uma condição médica real e não é causada por falta de disciplina, má educação ou falta de esforço.

O diagnóstico de TDAH em crianças e a instituição de tratamento adequado podem ajudar as crianças com TDAH a gerenciar seus sintomas e levar uma vida produtiva e bem-sucedida.

O TDAH é frequentemente diagnosticado em crianças em idade escolar, mas muitas vezes persiste na adolescência e na idade adulta. O tratamento pode incluir terapia comportamental, educação sobre a condição, adaptações na escola ou no trabalho e, em alguns casos, medicamentos. O tratamento é personalizado de acordo com as necessidades individuais de cada pessoa com TDAH.

Como é feito o Diagnóstico de TDAH em Crianças?

O diagnóstico de TDAH em crianças é fundamental para garantir que as crianças recebam o apoio de que precisam para enfrentar os desafios associados a essa condição.

Etapas para o Diagnóstico de TDAH em Crianças

1. Avaliação Inicial

O primeiro passo no diagnóstico de TDAH em crianças  é uma avaliação médica . Isso geralmente é feito por um neuropediatra ou psiquiatra. Os pais e cuidadores podem compartilhar suas preocupações sobre o comportamento da criança, observações em casa e na escola, e quaisquer sintomas que a criança esteja apresentando.

2. Coleta de Histórico

O neuropediatra irá coletar um histórico médico e comportamental detalhado da criança. Isso inclui informações sobre o desenvolvimento infantil, comportamento desde a infância, histórico familiar de TDAH ou outras condições relacionadas e qualquer tratamento ou intervenção prévia.

3. Entrevistas e Questionários

Entrevistas com os pais, cuidadores e professores são frequentemente conduzidas para obter informações adicionais sobre o comportamento da criança em diferentes contextos. Além disso, questionários padronizados, como o Questionário de TDAH para Pais e Professores, podem ser usados para avaliar os sintomas do TDAH.

4. Critérios Diagnósticos

O diagnóstico do TDAH é baseado em critérios estabelecidos pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5). Para ser diagnosticada com TDAH, a criança deve atender a critérios específicos de sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade que causam prejuízo significativo em múltiplos aspectos da vida da criança.

5. Exclusão de Outras Condições

É importante que o neuropediatra exclua outras condições médicas ou psiquiátricas que possam estar contribuindo para os sintomas apresentados pela criança. Isso pode envolver exames médicos adicionais e avaliações psicológicas.

Avaliação Multidisciplinar

O diagnóstico do TDAH geralmente envolve uma abordagem multidisciplinar. Além do médico, educadores e terapeutas comportamentais podem desempenhar um papel importante no processo de avaliação, fornecendo informações sobre o desempenho da criança na escola e em outros ambientes.

O Papel dos Pais e Cuidadores

Os pais e cuidadores desempenham um papel crucial na avaliação e no diagnóstico do TDAH de uma criança. É importante que eles sejam observadores atentos e forneçam informações precisas durante o processo de avaliação. Além disso, o apoio emocional e a colaboração com profissionais de saúde são fundamentais para garantir que a criança receba o tratamento e o apoio necessários.

O diagnóstico do TDAH em crianças é um processo abrangente que envolve a coleta de informações de várias fontes. O objetivo é garantir que a criança receba o tratamento e o apoio necessários para enfrentar os desafios associados ao TDAH e prosperar em sua jornada de desenvolvimento. A compreensão do processo de diagnóstico e a colaboração com profissionais de saúde são fundamentais para garantir que as crianças com TDAH recebam o apoio adequado.

Quais São as Causas do TDAH em Crianças? Desvendando os Fatores Subjacentes

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurocomportamental que afeta crianças em todo o mundo. Uma pergunta comum que os pais, cuidadores e profissionais de saúde têm é: “Quais são as causas do TDAH em crianças?” Neste artigo, exploraremos as complexas causas por trás dessa condição e os fatores subjacentes que podem contribuir para o desenvolvimento do TDAH em crianças.

Contribuições Genéticas

Uma das principais influências nas causas do TDAH em crianças é a genética. Estudos têm demonstrado que o TDAH tende a ocorrer em famílias, sugerindo uma forte predisposição genética. Se uma criança tem um ou ambos os pais com TDAH, ela tem maior probabilidade de desenvolver a condição. No entanto, o TDAH não é causado por um único gene, mas sim por múltiplos genes que interagem entre si.

Desequilíbrio de Neurotransmissores

Outra causa subjacente do TDAH está relacionada a desequilíbrios nos neurotransmissores do cérebro, como a dopamina e a norepinefrina. Esses neurotransmissores desempenham um papel fundamental no controle da atenção, do foco e do comportamento. Um desequilíbrio pode afetar a capacidade de uma criança de regular seu comportamento e manter a atenção.

Fatores Ambientais

Enquanto a genética desempenha um papel significativo, os fatores ambientais também podem contribuir para o desenvolvimento do TDAH em crianças. Alguns desses fatores incluem:

1. Exposição ao Tabaco e ao Álcool durante a Gravidez: Estudos sugerem que o consumo de tabaco e álcool durante a gravidez pode aumentar o risco de TDAH em crianças.

2. Exposição a Chumbo: A exposição ao chumbo, geralmente encontrada em tintas antigas e em alguns locais de habitação, foi associada a um maior risco de TDAH.

3. Prematuridade e Baixo Peso ao Nascer: Bebês prematuros ou com baixo peso ao nascer têm um risco ligeiramente maior de desenvolver TDAH.

Lesões Cerebrais e Função Cerebral

Algumas lesões cerebrais ou problemas de desenvolvimento podem afetar a função cerebral e contribuir para o TDAH. Isso inclui lesões traumáticas, exposição a toxinas ambientais e anomalias no desenvolvimento do cérebro.

Diagnóstico de TDAH em Crianças e Tratamento

O TDAH é uma condição complexa com múltiplas causas subjacentes. O diagnóstico é baseado em critérios clínicos e comportamentais, e não há um único teste de laboratório para confirmar o diagnóstico. O tratamento geralmente envolve uma abordagem multidisciplinar que pode incluir terapia comportamental, intervenção escolar, apoio da família e, em alguns casos, medicamentos.

Embora as causas exatas do TDAH em crianças não sejam completamente compreendidas, sabemos que a genética, os desequilíbrios de neurotransmissores, os fatores ambientais e os problemas de desenvolvimento cerebral desempenham papéis importantes.

O TDAH é uma condição tratável, e muitas crianças com TDAH podem levar vidas bem-sucedidas com o apoio adequado. A compreensão das causas subjacentes ajuda a orientar abordagens de tratamento e a oferecer apoio às crianças e famílias afetadas por essa condição.

 

Mitos e Equívocos Comuns sobre o TDAH em Crianças: Separando Fatos da Ficção

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurocomportamental que afeta muitas crianças em todo o mundo. No entanto, a falta de compreensão e os mitos que cercam o TDAH podem criar estigmatização e dificuldades desnecessárias para as crianças que enfrentam essa condição e suas famílias. Neste artigo, vamos explorar alguns dos mitos e equívocos mais comuns sobre o TDAH em crianças, separando os fatos da ficção.

Mitos e Equívocos Comuns

  1. TDAH é uma Invenção Moderna
  • Fato: O TDAH é uma condição que existe há décadas. Embora tenha havido um aumento no diagnóstico nas últimas décadas, isso se deve em grande parte a uma melhor compreensão e reconhecimento da condição.
  1. Crianças com TDAH são Simplesmente Hiperativas
  • Fato: Embora a hiperatividade seja um dos sintomas do TDAH, não é o único. A desatenção e a impulsividade também desempenham um papel significativo.
  1. TDAH é Causado por Falta de Disciplina
  • Fato: O TDAH é uma condição médica real com causas complexas, incluindo fatores genéticos, neuroquímicos e ambientais. Não é resultado de má disciplina ou falha dos pais.
  1. As Crianças com TDAH Simplesmente Precisam se Esforçar Mais
  • Fato: As crianças com TDAH geralmente estão fazendo o melhor que podem. A condição afeta suas habilidades de autorregulação e atenção, o que pode tornar as tarefas mais desafiadoras.
  1. Crianças com TDAH Não Podem Ter Sucesso na Escola
  • Fato: Com o apoio adequado, muitas crianças com TDAH podem ter sucesso acadêmico. Estratégias de apoio, como IEPs (Planos de Educação Individualizados) e terapia, podem ser eficazes.
  1. O TDAH Desaparece na Adolescência ou na Idade Adulta
  • Fato: Embora os sintomas de TDAH possam mudar com a idade, muitas pessoas continuam a enfrentar desafios relacionados ao TDAH na adolescência e na idade adulta. O diagnóstico de TDAH em crianças e adolescentes e o tratamento ainda são relevantes.

Confira o vídeo a seguir com depoimentos de pessoa com TDAH

Importância da Educação e Compreensão

A educação sobre o TDAH é fundamental para combater mitos e equívocos. A conscientização ajuda a criar um ambiente de apoio para as crianças com TDAH, suas famílias e educadores. É importante lembrar que cada criança com TDAH é única, e o tratamento e o apoio devem ser adaptados às suas necessidades individuais.

Separar os mitos e equívocos do TDAH dos fatos é essencial para garantir que as crianças com TDAH recebam o apoio de que precisam para prosperar.

O TDAH é uma condição médica legítima que pode ser gerenciada com sucesso por meio de intervenção adequada e apoio contínuo.

A compreensão e o apoio da comunidade são cruciais para ajudar crianças com TDAH a alcançar seu potencial máximo e superar os desafios que podem surgir ao longo do caminho.

Se você tem dúvidas sobre o diagnóstico de TDAH em crianças, consulte um neuropediatra.

*Para saber sobre TDAH na vida adulta clique aqui. 

Back To Top