skip to Main Content
(11) 3031-6164 (11) 99003-8847
O Que é Síndrome De West E Qual O Tratamento?

O que é Síndrome de West e qual o tratamento?

Espasmos em um bebê: O que é Síndrome de West e qual o tratamento?

Os espasmos infantis também são conhecidos como síndrome de West porque foram descritos pela primeira vez pelo Dr. William James West na década de 1840. Essas convulsões podem ser sutis e confundidas com outros comportamentos normais do bebê ou cólicas.

Como posso saber se o meu bebê apresenta Síndrome de West?

Espasmos infantis podem se apresentar de diferentes maneiras: geralmente os espasmos consistem num enrijecimento repentino, a criança parece tomar um susto! Frequentemente, os braços se abrem quando os joelhos sobem e o corpo se inclina para a frente. Em alguns casos, a cabeça pode ser jogada para trás à medida que o corpo e as pernas ficam rígidos numa posição esticada. Os movimentos também podem ser mais sutis e limitados ao pescoço ou outras partes do corpo.  Os bebês podem chorar durante ou após o espasmo.

Cada crise dura apenas um ou dois segundos, mas geralmente ocorrem juntas em série. O bebê faz o movimento várias vezes seguidamente! Às vezes, os espasmos são confundidos com cólicas, mas as cólicas não ocorrem em série. Os espasmos acontecem com mais frequência logo após o despertar. Eles raramente ocorrem durante o sono.

Bebês com espasmos infantis muitas vezes parecem parar de se desenvolver conforme o esperado. Ou podem perder habilidades como se sentar, rolar ou balbuciar. Frequentemente, os bebês perdem o interesse pelo ambiente. Eles também podem interagir menos socialmente, ficam menos sorridentes do que o costume.

Em que idade os espasmos infantis ocorrem?

A síndrome de West é considerada uma epilepsia específica da idade. Eles geralmente começam em uma criança entre 3 e 8 meses de idade. Na maioria das crianças, começa por volta de 1 ano de idade e geralmente cessa por volta dos 2 a 4 anos de idade.

Não é um tipo de epilepsia comum: apenas um bebê entre alguns milhares é afetado.

O que causa a Síndrome de West?

Dois em cada três bebês com espasmos infantis têm alguma causa conhecida para as convulsões, porém a gama de causas é ampla.

  • A causa mais comum é uma alteração estrutural no cérebro. Isso pode ser devido a uma lesão anterior (como infecção cerebral ou falta de oxigênio no cérebro). Também pode ser devido a uma alteração na forma como o cérebro se desenvolveu (malformação cortical ou displasia).
  • Causas genéticas também são possíveis. Existem vários genes associados a espasmos.
  • As causas metabólicas também podem levar a alterações na função cerebral e causar espasmos.
  • Outros bebés não tiveram lesões aparentes e têm-se desenvolvido normalmente.
  • Não há evidências de que a história familiar, o sexo do bebê ou fatores como imunizações estejam relacionados com espasmos infantis.

Como os espasmos infantis são diagnosticados?

  • É importante ter um relato cuidadoso dos eventos, incluindo a descrição do movimento e frequência com que ocorrem.
  • Faça um vídeo dos eventos e mostre-o ao seu médico se estiver preocupado com a possibilidade de seu filho estar tendo espasmos.
  • Relate a história do desenvolvimento da criança e qualquer lesão cerebral anterior.
  • Deve ser feito um exame físico e neurológico detalhados
  • Um EEG (eletroencefalograma) analisa a atividade elétrica do cérebro e é essencial em casos de história de espasmo em bebês.

O que mostra o EEG ou Eletrencefalograma na suspeita de Síndrome de West?

Um EEG em um bebê com espasmos infantis geralmente mostra um padrão chamado hipsarritmia, quando as convulsões não estão ocorrendo. Esse pico de alta tensão e padrão de onda costumam ser úteis para confirmar o diagnóstico.

A maioria dos bebês diagnosticados com espasmos infantis necessitará de outros exames, como ressonância magnética (ressonância magnética) do cérebro e exames de sangue e urina.

Para saber mais sobre tratamento da Síndrome de West converse com um neuropediatra especialista em epilepsias e confira em nosso blog!

 

 

*Fonte: https://www.epilepsy.com/

Back To Top