skip to Main Content
(11) 3031-6164 (11) 99003-8847

Identificando sinais de TEA na fase pré-escolar

O transtorno do espectro autista (TEA) se caracteriza por alterações na capacidade de interação social, comportamento e comunicação, podendo se manifestar por sinais e sintomas como dificuldades na forma de falar, bloqueios na forma de expressar ideias e sentimentos, repetição de movimentos.

Professores da educação infantil, por conviverem com crianças diariamente, conseguem observar com mais facilidade comportamentos atípicos apresentados por algumas crianças, logo, são grandes aliados no diagnóstico precoce do TEA.

Há sinais importantes que pais e educadores podem observar, ajudando na identificação precoce de uma criança com dificuldades em seu desenvolvimento, podendo encaminhá-la a um atendimento especializado:

  • Dificuldade na interação social: a criança evita contato visual ou tem dificuldade em permanecer olhando nos olhos; tem dificuldade em manter um relacionamento com outras crianças da mesma idade; repete de padrões – por exemplo, brinca com os mesmos brinquedos, fala sempre as mesmas coisas; seus interesses são restritos e focados sempre nos mesmos assuntos.
  • Dificuldade de comunicação: ela sabe falar, mas prefere ficar em silêncio, ainda que lhe façam perguntas; a criança refere-se a si mesma com a palavra “você”; mantém a expressão no rosto e não entende gestos e expressões faciais de outras pessoas;
  • Alterações comportamentais: a criança pode não demonstrar medo em situações perigosas, como subir em lugares altos; aparenta não sentir dor; olha sempre na mesma direção; fica se balançando para frente e para trás por vários minutos ou horas ou torce as mãos ou os dedos constantemente;

Essas são apenas alguns sinais de um possível diagnóstico de TEA. Vale lembrar que comportamentos isolados não caracterizam esse transtorno, é necessária uma avaliação clínica para o diagnóstico.

Por isso é importante que pais e professores sejam aliados e estejam em constante contato, a fim de dar o apoio e encaminhamento necessário à criança portadora de TEA.

Back To Top