skip to Main Content
(11) 3031-6164 (11) 99003-8847
Tratamento Da Epilepsia Infantil

Dúvidas sobre Medicações no Tratamento da Epilepsia Infantil

Tratamento da epilepsia infantil: principais dúvidas sobre as medicações

O uso de medicações no tratamento da epilepsia infantil serve para prevenir a ocorrência de crises.  Não se usa para curar a epilepsia, mas para prevenir a ocorrência de crises. Com o uso adequado de medicações, sabemos que aproximadamente 70% dos pacientes terão um bom controle de crises. Em outros casos, será necessário associação de medicações ou outras terapias para controle de crises, como cirurgia, neuromodulação, dieta cetogênica, canabidiol. Além das medicações, um estilo de vida adequado poderá auxiliar no controle de crises, como hábitos de sono regular e não uso de bebidas alcoólicas. A adesão ao tratamento com uso regular da medicação, respeitando-se o intervalo de doses também impactarão a resposta ao tratamento.

Usando a medicação corretamente terei controle de crises?

Cerca de 70% dos casos de epilepsia evoluem com controle das crises e sem sequelas motoras e mentais. Contudo, nenhum tratamento clínico atual pode induzir uma cura nem impedir o desenvolvimento de epilepsia. O tratamento com drogas antiepilépticas é geralmente o primeiro a ser adotado. Em geral, o tratamento mostra-se bastante eficaz para esta condição na infância, com 60% dos casos nesta faixa etária ficando livre das crises com o uso de apenas uma medicação anti crises.

A medicação pode me prejudicar?

Todas as medicações anti crise, poderão trazer efeitos indesejáveis em alguns pacientes. Entre os efeitos colaterais dos antiepilépticos estão sedação, embotamento mental, alteração da memória e concentração, entre outros efeitos.

O tratamento da epilepsia infantil levanta questões adicionais, especialmente porque ainda não se conhecem os efeitos do uso prolongado de drogas antiepilépticas sobre o desenvolvimento cerebral, o aprendizado e o comportamento.

Qual a melhor medicação anti crises?

Existem diversos fármacos licenciados para o tratamento da epilepsia na infância, com cada droga sendo indicada para uma ou várias síndromes. O tipo de crise, síndrome, interações entre medicamentos, causa da epilepsia, idade do paciente, presença de outros sintomas ou doenças devem ser considerados na hora da escolha da medicação mais adequada a cada caso. Converse com o seu médico e entenda qual a melhor opção de tratamento para o seu caso.

A medicação é para a vida toda?

O tempo de uso da medicação vai depender do tipo de epilepsia, da idade do paciente e do tempo que as crises estejam controladas (tempo sem crises com medicação estável). Em muitos casos a medicação poderá ser retirada após 2 a 5 anos, mas isso deve ser conversado com o médico que acompanha a criança.

Mais de metade dos casos de epilepsia em crianças evolui com melhora após alguns anos, mas cada caso deve ser avaliado criteriosamente para que se escolha a conduta correta sobre o uso da medicação e o tempo do tratamento.

Tratamento da Epilepsia Infantil: Promovendo uma Vida Saudável

A epilepsia infantil é uma condição neurológica que afeta muitas crianças em todo o mundo. Diante desse desafio, é importante entender que a epilepsia é tratável, e muitas crianças podem levar vidas saudáveis e felizes com o tratamento adequado.

Neste artigo, vamos explorar as opções de tratamento disponíveis para crianças com epilepsia, fornecendo informações valiosas para pais, cuidadores e profissionais de saúde.

Abordagem Multidisciplinar

O tratamento da epilepsia infantil é frequentemente uma abordagem multidisciplinar que envolve diferentes especialidades médicas e terapêuticas. Uma equipe de saúde que inclui um neurologista pediátrico, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, terapeutas da fala e outros profissionais de saúde trabalha em conjunto para desenvolver o melhor plano de tratamento para cada criança.

Opções de Tratamento

As opções de tratamento para a epilepsia infantil podem variar dependendo do tipo de convulsões, da gravidade da condição e das necessidades individuais da criança. Alguns dos principais métodos de tratamento incluem:

  1. Medicamentos Anti Crise O tratamento mais comum para a epilepsia infantil envolve o uso de medicamentos antiepilépticos. Esses medicamentos são projetados para controlar a atividade elétrica anormal no cérebro e reduzir a frequência e a gravidade das convulsões. O neurologista pediátrico determinará qual medicamento é mais adequado para a criança com base em sua condição específica.
  2. Dieta Cetogênica: Em alguns casos, uma dieta cetogênica pode ser recomendada. Essa dieta é rica em gorduras e pobre em carboidratos, o que pode ajudar a controlar as convulsões em algumas crianças.
  3. Cirurgia: Em situações mais graves em que as convulsões não respondem aos medicamentos ou quando há uma lesão cerebral focal identificada como a causa das convulsões, a cirurgia pode ser considerada. A cirurgia pode envolver a remoção da área afetada ou a instalação de dispositivos de estimulação cerebral profunda.
  4. Terapias Complementares: Além dos tratamentos médicos, algumas crianças com epilepsia se beneficiam de terapias complementares, como a terapia ocupacional, a terapia da fala e a fisioterapia.
  5. Acompanhamento e Monitoramento: O tratamento da epilepsia infantil requer acompanhamento contínuo. É importante que a criança seja monitorada de perto pelo neurologista pediátrico para ajustes no tratamento, se necessário.

Qualidade de Vida

Além de controlar as convulsões, o tratamento da epilepsia infantil também se concentra em melhorar a qualidade de vida da criança. Isso inclui a promoção do desenvolvimento cognitivo, emocional e social da criança, garantindo que ela tenha acesso a uma educação inclusiva e proporcionando apoio emocional.

O tratamento da epilepsia infantil é um processo complexo que exige cuidado, dedicação e uma equipe de profissionais de saúde qualificados. Com o tratamento adequado e o acompanhamento contínuo, muitas crianças com epilepsia podem levar vidas saudáveis e produtivas.

É fundamental que pais, cuidadores e profissionais de saúde trabalhem em conjunto para garantir o melhor cuidado possível e promover o bem-estar das crianças afetadas pela epilepsia. A pesquisa contínua e os avanços na medicina oferecem esperança para um futuro cada vez mais brilhante para essas crianças e suas famílias.

Se você tem dúvidas sobre o tratamento da epilepsia do seu filho(a), consulte um neuropediatra especialista em epilepsia!

Você sabia que a adesão à medicação é essencial ao tratamento da epilepsia? Confira esse vídeo da Liga Brasileira de Epilepsia.

*Para saber mais sobre clique aqui.

 

Back To Top